Exercício de Redação Enem. Tema: "O aumento no número de casos de depressão entre os jovens"

Aluna: @euliege

Correção: Professor Thiago Sabino
Legenda da correção:
deixar para a conclusão
 (remoção da vírgula)
, (introdução da vírgula)

    A transição de fase caracterizada pela perda das regalias da infância e a ausência dos privilégios da fase adulta, associada às transformações hormonais da adolescência, ainda, com o auxílio da era da tecnologia no que concerne às comparações virtuais, além da predisposição genética, podem propiciar um desequilíbrio emocional nos jovens e levar a um quadro de depressão. Doença crônica que tem aumentado na faixa etária de 10 a 19 anos, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesse contexto, cabe analisar fatores externos facilitadores para o aumento da depressão entre os jovens como a autocobrança e a ausência familiar.
  A princípio, é necessário avaliar que a autocobrança e as comparações pessoais constroem ressentimentos lesando o bem-estar. Com a exposição de vidas pessoais e profissionais de terceiros, por vezes ilusórias, beirando a perfeição, em virtude do avanço da tecnologia e nas trocas de informações durante as primeiras décadas do século XXI, leva os jovens usuários  uma camada em formação socioemocional — a se compararem e a exigirem para si mesmos um presente e um futuro semelhantes. Porém, quando tal camada depara-se com sua própria realidade diferente da observada, ao sentir-se sem perspectiva de projetos futuros satisfatórios, pode vir a desenvolver uma profunda tristeza e frustração por um longo período, o que afeta a saúde emocional e também física, podendo ocasionar sérios danos psíquicos e até a morte. Meninos e meninas, os quais estão expostos aos riscos da era da tecnologia da informação avançada, têm apresentado características sintomáticas dessa doença que até pouco tempo acreditava ser uma mazela de adultos. Logo, medidas apropriadas precisam ser tomadas para o reconhecimento de mudanças súbitas e duradouras de comportamentos com o fito de sanar a problemática.
    Além disso, a ausência da família é mais um fator externo que favorece para o aumento de casos de depressão na faixa etária abordada, afetando na formação socioemocional. Para o sociólogo Durkheim, a família é uma instituição fulcral da sociedade, e a perda das funções familiares causa uma desordem social. Dessa forma, as relações de parentesco é de fundamental importância para o desenvolvimento juvenil e pode surtir efeitos negativos na conduta emocional quando insuficiente. Assim, uma participação qualitativa dos pais e familiares é capaz de melhorar o quadro, detectando mudanças súbitas de atitudes e buscando ajuda médica precocemente a fim de diminuir o expressivo número de casos de depressão entre os que se encontram numa complicada fase de transição e de transformações.
   Infere-se, portanto, que o aumento no número de casos de depressão entre os jovens possui relação com comportamentos sociais, além da predisposição genética. Como resolução, é possível uma parceria entre as secretarias municipais de saúde e as instituições de ensino, promovendo palestras lúdicas e rodas de conversa nas escolas, com a participação de professores e de profissionais especialistas na área da saúde mental, a fim de esclarecer os riscos das comparações virtuais com a realidade única de cada um, valorizando a diversidade nas experiências, conquistas e, também, perdaspara com elas aprender. Em adição, consultas regulares com psicólogos. Outrossim,  reuniões direcionadas aos pais em horários apropriados, com o intuito de resgatar e reafirmar a importância da família. Dessa maneira, o número de casos de depressão entre os jovens será atenuado e o pensamento durkheimiano uma máxima alcançada.

Textos motivadores:
O Globo 

Se deixar curar é acreditar no que é suficiente

Creio que o sacrifício de Jesus é suficiente para cobrir os meus pecados para com Deus? Creio que o sacrifício dEle é suficiente para cobrir os pecados do meu irmão contra mim?

Muitas vezes a ferida que o outro me causou é a que não quero deixar curar. O sentimento é de que mereço uma restituição, o pagamento da dívida. Mas nem sempre o ofensor vai se arrepender (ou perceber) do que fez, e podemos seguir a vida até nos relacionando com essa pessoa, mas intimamente esperando o ressarcimento. Precisamos aprender que perdoar é uma escolha e no momento em que decido perdoar a liberdade é tanto imediata quanto processada.

A cada dia eu tomo a mesma decisão e escolho perdoar e ser livre. Mas também caminho no processo do perdão, limpando a alma de qualquer ressentimento. Assim, se for preciso conviver poderei desfrutar de uma via de mão dupla, onde posso ir e vir e não mais apenas ir, sem voltar. A corda da dor que me machucava a cada movimento do outro foi cortada. Qualquer boa atitude em minha direção será um bônus, um presente, e não mais o pagamento da dívida. Afinal, passei a régua naquela página e escrevi em letras bem grandes e vermelhas com o Sangue carmesim: Tetelestai - está consumado. O Cordeiro de Deus, que tira o meu pecado (e o pecado do meu ofensor) pagou a dívida. Jesus é suficiente

Texto: Ana Paula

Um abraço e saudades.